segunda-feira, 5 de maio de 2008

Em Viana e já são notícia!

Viana: Jovens aventureiros regressam da Guiné-Conacri com documentário sobre djambé

Viana Do Castelo, Portugal 05/05/2008 16:32 (LUSA) Temas: Música, Curiosidades, Aventura, Sociedade

Os três jovens aventureiros de Viana do Castelo que viajaram até à Guiné-Conacri numa viatura com 21 anos anunciaram hoje, no regresso a casa, que o prometido documentário sobre o djambé estará pronto dentro de um ano. "Entrevistámos mestres antigos e professores da Universidade de Conacri, vimos de perto como é feito o djambé, desde o corte da árvore até todo o cerimonial associado, pensamos que um estudo mais completo seria difícil", disse Armando Santos, 29 anos e o mais velho do trio. "Agora, vamos trabalhar todo este material, compilando-o num documentário que esperamos ter concluído dentro de um ano e que poremos à disposição de todos os interessados", acrescentou Ricardo Leal, 25 anos, o mais novo dos aventureiros. Os jovens partiram de Viana do Castelo a 18 de Novembro, rumo à Guiné-Conacri, tendo como grande objectivo a realização de um documentário sobre o djambé, um antigo e tradicional instrumento de percussão cujo som é "arrancado" com as palmas das mãos. Além do documentário, os aventureiros prometem ainda mostrar os resultados e contar as peripécias desta aventura através de uma exposição de fotografia, a edição de um livro, também de fotografia e uma outra obra sobre a viagem propriamente dita. "Este livro será uma espécie de diário de bordo", sintetizou Nuno Ribeiro, 26 anos, o outro elemento do trio. Nas estórias, um lugar de destaque vai ocupar a "Aurora", ou seja, a velhinha Peugeot 505, com 21 anos, que compraram por 500 euros e na qual percorreram quase 20 mil quilómetros, sem problemas mecânicos de qualquer espécie. "Tirando as suspensões, que tivemos que substituir porque as estradas que percorremos eram, de facto, muito más e cheias de buracos, a 'Aurora' não nos deu qualquer problema. E até já estamos a pensar nela para futuras aventuras", garantiram. Desta expedição, além de mais ricos cultural e socialmente, os três jovens regressaram todos de bigode, "imagem de marca dos portugueses no estrangeiro" e um deles, o Ricardo, também mais rico fisicamente, com um dente de ouro. "Ficou-me baratinho e aproveitei", referiu. A ideia desta viagem surgiu em meados de 2007, na sequência de um repto lançado em Viana do Castelo por Billy Konaté, um dos nomes mais sonantes da Guiné-Conacri no que diz respeito ao djambé. "Propôs-nos a realização de um documentário sobre este antigo e tradicional instrumento de percussão, para perpetuar a genuinidade da percussão africana e evitar algumas adulterações que podem comprometer o seu futuro”, disse Armando Santos. Armando, Nuno e Ricardo, todos licenciados, não escondem que, além do djambé, houve um factor ainda mais forte que tornou aquela proposta irrecusável: o fascínio que África exerce sobre os três. "África tem o condão de pôr as pessoas com um brilhozinho nos olhos, é qualquer coisa de muito especial, de único", sustenta Nuno Ribeiro. Armando e Nuno repartiram entre si a tarefa de conduzir a Peugeot 505, de sete lugares, enquanto que a Ricardo, até porque não tem carta de condução, coube registar o diário de bordo, perpetuando os momentos vividos e actualizando o blog onde descreviam, a par e passo, as incidências da viagem. Na mira dos jovens está já uma outra aventura, desta vez à Índia, seguindo a rota dos portugueses nos Descobrimentos.


VCP. Lusa/fim

2 comentários:

filipe disse...

Que tal levarem a Aurora a passear até Timbuktu?
www.crazyportuguese.com

Shiva disse...

É isso aí, povo do senhor!!!...Força....prá continuação da odisseia....sempre com a aurora...sempre a registar as auroras vastas dos confins vastos....com bigodes vastos por cima de sorrisos vastos!!!
Bjs e abraços ternos e eternos!!!